0

Como funciona o php.ini em clientes de hospedagem

O php.ini é recursivo, isto é, ele atua no diretório em que foi colocado e em todas os diretórios abaixo dele.
E o diretório abaixo dele que tiver um outro php.ini alterando a mesma configuração, prevalecerá, nesse novo diretório, o php.ini mais perto dele.
Quando o servidor está rodando o PHP como módulo (phpsuexec), uma configuração feita no .htaccess ao invés de no php.ini resultará no erro 500 (error 500, internal server error).
Esse tutorial pretende ajudar os usuários de hospedagem a configurar suas contas. Não iremos tratar nesse artigo a configuração do “php.ini” no servidor de hospedagem (aquele que configura todas as contas de hospedagem nele instaladas).
“On” tem o mesmo significa de “True” ou “1″. “Off” tem o mesmo significado de “False” ou “0″.
Existem diversas opções que podem ser configuradas no php.ini, então listarei aqui as mais utilizadas:

engine = On
Ativa o PHP na conta.
memory_limit = 128M
Define um limite de memória virtual para os scripts de uma conta. Neste caso, coloca o limite em 128MB (o ideal é não colocar mais que 64M).
register_globals = On
Ativa o register_globals.
Atenção: É recomendado, por questão de segurança, deixa-lo desativado por padrão no servidor. Em pouquíssimos casos é necessário ativá-lo, e em geral apenas em contas específicas.
file_uploads = On
Ativa o envio de arquivos através do protocolo HTTP (em geral esta opção já é padrão nos servidores de hospedagem).
upload_max_filesize = 10M
Aumenta o limite de envio do arquivo por upload via HTTP para 10Mb. O limite configurado pelo usuário não funcionará se for maior que o configurado pelo servidor.
post_max_size = 10M
Aumenta o limite de envio do arquivo por upload via HTTP pelo método POST para 10Mb. O limite configurado pelo usuário não funcionará se for maior que o permitido no servidor e maior que o upload_max_filesize.

Deixe uma resposta